Paulo Franke

28 junho, 2012

Valorize o seu LAR enquanto você o tem.



Fiquei um tanto surpreso quando vi que minha recente foto - de um antigo prédio residencial na esquina de onde moramos por 6 anos - fez certo sucesso quando a publiquei no Facebook. Bons comentários vieram de meus amigos, alguns deles chamando-me de poeta por ter percebido o coração que o reboco caído desenhou em um prédio da capital Helsinki. Respondi-lhe que mais do que olho de poeta foi olho de pedreiro.

Em todo o caso, trago-a para o blog com uma meditação que escrevi no meu livro "Edificação Diária", sobre rotina familiar, 
com base em Provérbios de Salomão 25:17: 
"Não sejas frequente na casa do teu próximo, para que não se enfade de ti, e te aborreça."

Em muitos idiomas , família restringe-se somente aos pais e filhos, e a palavra em português não foge à regra, porém o brasileiro, com o seu grande coração, deu um "jeitinho" de torná-la mais abrangente. Família, portanto, pode incluir até os bons amigos, aos quais se pode dizer "você é da família!" Julgo isso uma marca muito positiva de nossa gente.

Há algo, no entanto, que pode ofuscar o brilho de uma família. A frase "a grama do vizinho é sempre mais verde", conhecida mundialmente, expressa bem o ponto aonde quero chegar. O problema surge quando a casa do próximo torna-se super valorizada em detrimento da sua própria, negligenciando ou menosprezando o convívio do lar.

Isso acontece muitas vezes pela rotina que se estabelece em uma casa. Enquanto que a rotina deveria ser uma prova de que tudo transcorre normalmente no meio familiar, a sua presença age muitas vezes de forma negativa. Há pais que não vêem os filhos e vice-versa. O crescimento dos filhos não lhes é percebido, muito menos a provisão do pai ou o trabalho doméstico da mãe, e o termo "velhos" nem sempre é dito em tom carinhoso. Na casa do próximo, no entanto, o elemento rotina inexiste e "é lá onde as pessoas e coisas são mais coloridas, belas e interessantes."

Valorize a família que Deus lhe deu. Abra os olhos ao que é seu e seja grato por pais, filhos e irmãos. Um dia você sentirá saudade dos bons dias "lá em casa", das brincadeiras com os irmãos, dos pais que já partiram desta vida, fazendo-nos "órfãos" não importa a idade que tenhamos. O conselho é também aos pais, como escreveu alguém e anotei: Uma criança entra em nossa casa e faz tanto barulho durante vinte anos que se torna quase insuportável; depois parte e deixa na casa um tal silêncio que dá a impressão de que se vai enlouquecer!

Afinal, o lar como você o tem agora é só um episódio passageiro no curso de sua vida, portanto viva e valorize essa aventura enquanto ela existe. E que o amor possa reger essa sinfonia que mais hoje mais amanhã vai ser interrompida e deixará tanta saudade! 




______________

L i n k


"O velho relógio de nossa casa"

3 Comments:

  • Paulo! Mexeu com meu ponto fraco ... a família!Que falta fazem por não estarem por perto, mas não os trouxemos à este mundo para tê-los sempre sob nossas asas, mas o nosso compromisso foi com Deus - o de ensina-los para que não abandonem jamais o aconchego das asas do Grande Pai!
    Yara

    By Anonymous Anônimo, at quinta-feira, junho 28, 2012 10:49:00 PM  

  • É amigo, como tem coisas importantes as quais devemos levar conosco para sempre. Lar, familia...companheirismo , amizade, harmonia....
    Pensei muito no titulo que vc postou. "Valorize enquanto...." Pena poucos não ligarem para isso até o momento em que não teem mais! Outros se dão ao jubilo de conseguir outra, comprar e manter outra. Que maravilha, não?
    São tantas histórias vividas no lar, tantas quanto os anos de vida lá passados. Como esquecer e como deixar?
    Amigo, tenho a graça de ter e manter o meu e com a Graça de Nosso Senhor, desfrutarei por muito s e muitos anos ainda.
    Adorei o post e espero ansiosa pelo outro que foi comunicado!
    Grande aBRaço

    By Blogger Maria Thereza, at quinta-feira, junho 28, 2012 11:28:00 PM  

  • Franke, obrigada por essa mensagem! Bem no momento em que um casal muito amado nosso acabou de perder seu filho único, Rafael, de 19 anos, em um acidente trágico e estamos todos estarrecidos e cheios de dor junto com eles. Além da certeza de que o Rafael está diante do Senhor e do consolo com que o Espírito Santo nos assiste em nossa fraquesa, uma outra coisa que você menciona nesse seu texto certamente traz também muito consolo e conforto para os nossos irmãos amados, pais, abatidos nesse momento de muita dor, é o fato de que o amor, o cuidado e o relacionamento íntimo e profundo que eles tinham entre eles como família era de certa maneira exacerbado e algo que transbordava neles e influenciava a todos a sua volta!! Exemplifica muito bem a mensagem que você passou nesse texto e trouxe uma exortação ao meu coração!!! Obrigada!! Abraço, Sandra Gardim Rocha

    By Blogger Sandra Rocha, at segunda-feira, julho 02, 2012 3:50:00 PM  

Postar um comentário

<< Home