Paulo Franke

12 agosto, 2013

Como visitar pessoas ENLUTADAS...

 Ao entardecer de um dia deste verão finlandês, sentei-me na sacada de nosso apartamento a observar o céu. Resolvi então fotografar o espetáculo de quando as nuvens passam... mas confesso que não soube como utilizar as fotos no meu blog e ficaram arquivadas. 

Até que, na semana passada, com a partida para estar com o Senhor de minha irmã mais velha no sul do Brasil, procurei uma matéria traduzida pela Anneli do inglês e que também nunca utilizara.

Hoje, confio que a união das fotos com o texto mencionado, será de inspiração e ajuda na difícil tarefa, da qual muitos fogem ou adiam, que é a de visitar pessoas enlutadas...
O texto a seguir é da autoria do Major David Botting, e foi publicado na revista inglesa "The Salvationist"  de 24 de outubro de 1992. Por coincidência, David Botting foi o mesmo oficial que recebeu a visita de Yoko Ono e Sean Lennon quando dirigia o Orfanato "Strawberry Field", do "The Salvation Army" em Liverpool, muito visitado por John Lennon durante a sua infância.(Post respectivo no link abaixo) 


Introdução


Um dos nossos privilégios como cristãos é o sermos chamados para ministrar a outros. Paulo fez a seguinte colocação: "Alegrai-vos com os que se alegram, e chorai com os que choram" (Romanos 12:15). Visitar os enlutados é um desses momentos sagrados. Alguns evitam a idéia de fazê-lo. "O que posso dizer?" ou "Eu não saberia o que fazer", são alguns comentários comuns. E as visitas ou são abandonadas ou deixadas para o pastor "profissional". Visitar nos dá a oportunidade de apoiar as pessoas na sua fé e talvez desafiar os não-cristãos. Todos nós podemos participar deste ministério de "importar-se com os enlutados". Aqui seguem alguns conselhos simples que espero sejam de ajuda:


ORE ANTES DE IR VISITAR

Isto parece óbvio, mas na ansiedade de chegar rápido ou ao pensar no que dizer, as pessoas às vezes se esquecem do óbvio. Fale com o Senhor sobre a pessoa a ser visitada e sobre como você está se sentindo. Peça que o Espírito Santo acalme os seus pensamentos e o dirija a como iniciar e a continuar a conversa.


VISITE LOGO QUE FOR POSSÍVEL

As pessoas muitas vezes ficam estarrecidas e assustadas com a morte. Sentem-se sozinhas e vulneráveis. Uma visita que ocorra imediatamente demonstrará cuidado e apoio.


ESCUTE MUITO E FALE POUCO

Preparado para ouvir, encoraje gentilmente as pessoas a falarem e compartilharem seus sentimentos. Não tema um silêncio de vez em quando, lembrando-se de que as pessoas precisam de tempo para tentar conseguir colocar em palavras o que estão sentindo. Uma vez verbalizados, os sentimentos e emoções parecerão mais fáceis de suportar, especialmente se existe outra pessoa com quem compartilhá-los.


NÂO TENTE EXPLICAR TUDO

Quando as pessoas perderam um ente querido são incapazes de pensar em assuntos teológicos profundos. Elas não querem respostas "prontas". Sejamos honestos ao demonstrar que muitas vezes não sabemos de todas as respostas.


FALE DAS PROMESSAS DE DEUS

Podemos não saber a razão pela qual certas coisas acontecem, mas sabemos que Deus está conosco e nos apoia. Jesus também chorou com a perda de um amigo (João 11:35). Temos nEle a promessa de vida eterna (João 6:40) e ressurreição dos mortos (1 Coríntios 15).

Reconheça que palavras às vezes são inadequadas

Se sentir que é apropriado, dê um sincero abraço na pessoa, um aperto demão ou um simples toque. O fato de estar ali fisicamente é em si um ministério. 

Muitas pessoas serão confortadas e apoiadas com apenas isso.





NÂO TEMA COMPARTILHAR SEUS SENTIMENTOS

Se Jesus chorou na morte de Seu amigo, nós também podemos fazer isso.  Devemos, no entanto, passar disso para o compartilhar das promessas de 
Deus e acharmos ajuda e encorajamento na Sua Palavra.



CONTINUE VISITANDO APÓS O FUNERAL E ORANDO PELA PESSOA


A tristeza do luto leva tempo. É comum dar apoio até o enterro e depois achar

 que já não é mais necessário. Mas muitas vezes esse é o tempo quando mais

 se precisa de ajuda. Para aceitar a perda e formar um novo estilo de vida é 

preciso contínuo auxílio e apoio. Fale continuamente com o Senhor sobre o seu

 amigo, cercando a pessoa com oração.

Guarde para si o que é confidencial. As pessoas querem sentir que podem 

confiar em você e que a tristeza compartilhada é particular. Veja isto como 

uma confiança sagrada.

________________________________


Finalizando


Quando visitou o Brasil, ouvi no sermão do Arcebispo de Cantuária o 

seguinte: "Um pastor estava preocupado com tantas pessoas 

morrendo na sua congregação. Visitando uma irmã com doenç

terminal, percebendo a preocupacão do pastor, disse-lhe ela:

 'Fique calmo, pastor, eu estou apenas morrendo...' "

_______________

"Se a dor nos faz verter lágrimas, a fé em Deus as enxugam."


(no convite do enterro de minha irmã no jornal local)

____________

The last but not the least...

"Fiquei olhando, também, através da janela, para o horizonte de 

um azul tão pálido que se tornava difícil distinguir a linha divisória. E 

eu pensei: enquanto existir isso, enquanto eu 

estiver viva e puder contemplar este sol e este céu sem nuvens, 

 enquanto isto existir, não poderei ser infeliz."

— O Diário de Anne Frank


Dirigindo por uma rodovia, fotografei as nuvens em forma de um Menorah...


________________

L i n k

Yoko e Sean visitaram "Strawberry Field", o orfanato do Exército de Salvação em Liverpool que John Lennon visitava na sua infância:

http://paulofranke.blogspot.fi/2008/03/john-lennon-e-o-exrcito-de-salvaco-em.html

_____________________________

3 Comments:

  • Gostei muito do texto! Recentemente tivemos uma perda imensa na nossa igreja, um irmão jovem e muito ativo. Seu texto me incentivou a continuar confortando sua família.... Obrigada, e continue publicando textos assim...

    Andrea

    By Blogger paulofranke, at terça-feira, agosto 13, 2013 9:46:00 AM  

  • ... não sei o que dizer quando visito pessoas enlutadas, simplesmente as palavras somem da minha mente.

    Naza

    By Blogger paulofranke, at terça-feira, agosto 13, 2013 2:04:00 PM  

  • Amigo, disse tudo! E é possível entende perfeitamente como se sente, passou o sentimento como ninguém.Confesso que sou daquelas que visitam, mas não sei muito o que dizer. Sou de muito abraçar, ouvir mas, fica sempre aquela sensação de que não estou fazendo nada por ele(a), me entende? Chamo a pessoa para sair de casa, tomamos chá ou um lanche...passeios para falar...EU? Só fico quieta ouvindo e, sempre abraçando!
    Tudo que posso fazer e falo, é dizer..."estou aqui para o que vc precisar".
    Amigo, a dor nada consegue mudar, só tempo de Deus que é aquele em que passamos refletindo e orando. E o tempo de Deus é o melhor que temos em matéria de ajuda, não desmerecendo o apoio recebido!
    Post para refletir.
    Muita força e confiança no Pai!
    Grande aBRaço!

    By Blogger Maria Thereza, at quarta-feira, agosto 14, 2013 9:29:00 PM  

Postar um comentário

<< Home