Paulo Franke

09 outubro, 2013

CIGARRO põe em risco a vida e a... terra!


- Primeira Parte -

Não tenho abordado o tema CIGARRO no meu blog. Assistindo pela TV os debates em torno dele na União Européia, principalmente, sinto que é hora de fazê-lo.

"Rio de Janeiro... o espetacular caminho aéreo do Pão de Açúcar. Roteiro emocionante, admirado por visitantes de todas as partes do mundo. Que também apreciam Minister."

______________

Já fumei Minister, acredite quem quiser. 
Fumei durante meses, quando comecei a experimentar "o mundo", levado por amigos que não os da igreja que eu frequentava. E o comercial antigo tem algo a ver com a minha experiência curta tanto de fumar quanto de parar de fumar.

 Naquele janeiro de 1962, fui em férias para o Rio de Janeiro pela primeira vez e naturalmente subi ao Pão de Açúcar nesse mesmo bondinho vermelho. Logo faria o meu serviço militar, mas não contava que, ao voltar para Pelotas-RS, iria junto com um homem de Deus do Exército de Salvação, nomeado para dirigir o trabalho na minha cidade. Durante 32 horas, a duração da viagem Rio-Pelotas naquele tempo, conversamos muito. Simplificando, porque muitos conhecem a história de como ingressei no ES (link abaixo)... naquele mesmo ano de 1962 tornei-me soldado de dois exércitos e, o principal: nunca mais coloquei um cigarro na minha boca. Valera a ministracão do homem de Deus à vida daquele jovem desmotivado pela vida.




Em finlandês e sueco, neste país bilíngue:
Busque ajuda se quiser parar de fumar - Fumar pode prejudicar a pessoa ao seu lado - Fumar pode causar infarto ou doenças pulmonares - Fumar pode causar câncer fatal no pulmão - Fumar pode matar - Fumar causa envelhecimento da pele (e há outros que mencionam a impotência, o perigo de fumar na gravidez etc. etc.). 


No mínimo curioso, não tenho explicação para o que ocorre neste país, Finlândia, onde vivo. O cuidado em nada jogar nas ruas - caminha-se com o "lixinho" na mão ou no bolso até encontrar uma caixa de lixo - é quase algo sagrado. Os cigarros terminados são apagados na neve no inverno, MAS, e aqui chego no ponto: encontra-se facilmente carteiras vazias jogadas pelas ruas. Por que alguns não as jogam no lixo?? Seria inconscientemente para a advertência dos males do cigarro serem lidas? Aproveitando-me disso, peguei algumas para fins de "postagem no blog" para logo jogá-las fora.

________


E publico aqui algo extraído do Deutsche Welle (DW), com agradecimentos:

Seguindo o exemplo de países como o Brasil,  a Comissão Européia quer estampar nas carteiras de cigarro imagens dos malefícios provocados pelo fumo. A indústria alemã do tabaco cogita impedir alteração por meios legais.
"Imagine se todos os dias caísse um jumbo com 300 passageiros. As pessoas não iriam mais entrar num avião", compara Martina Pötschke-Langer, do Centro Alemão de Pesquisa do Câncer. Segundo a instituição, 110 mil pessoas morrem anualmente na Alemanha em consequência dos efeitos do consumo de tabaco. Mas esses dados não amedrontam os fumantes. "O potencial de dependência é simplesmente muito alto", diz Pötschke-Langer.
Um quarto dos adultos na Alemanha fuma regularmente. Em outros países, as taxas são, por vezes, muito maiores. Na Coreia do Sul, na Rússia e em Bangladesh, mais de metade da população fuma.
A grande novidade é que as embalagens de cigarros deverão estampar em breve fotos chocantes, apresentando de forma drástica os males provocados pelo cigarro. As doenças mais comuns de fumantes são câncer de pulmão, males crônicos de pulmão e enfermidades cardiovasculares, que podem levar a um ataque cardíaco ou a um acidente vascular cerebral.


No Brasil, na Austrália, no Canadá e também em alguns países da UE, ilustrações desse tipo já são obrigatórias.

(Ouço que a EU sugere que 65% de toda a carteira deve ocupar o alerta.)

Vejo hoje nas coleções encadernadas do "Brado" do meu tempo que muitas vezes dei o alerta contra o fumo à juventude, principalmente. Aqui, o Superman ataca um bandido chamado "Nick-O'Teen", que incita os jovens a fumarem.

_________________

E, também com agradecimentos, publico aqui uma matéria do
BLOG CURIOSO, de Marcelo Duarte:

O cigarro e a indústria cinematográfica andam juntas faz tempo. Estrelas de Hollywood como Cary Grant, Gary Cooper, John Wayne, Clark Gable e Bette Davis (foto abaixo) recebiam dinheiro dos fabricantes de cigarro para promover o produto. Apesar de contribuirem para a associação do tabaco com o glamour hollywoodiano,  John Wayne e Gary Cooper morreram de câncer em 1979 e 1961, respectivamente.
Ao longo do clássico “Casablanca”, Humphrey Bogart raramente é visto sem um cigarro. No filme de 1942, quase todos os homens aparecem fumando. Humphrey Bogart morreu em janeiro de 1957, também vítima de câncer.
O rebelde sem causa James Dean não largava o cigarro – a atitude, combinada com o topete, as jaquetas de couro e a camiseta branca, lhe valeu o posto de símbolo da rebeldia juvenil.
Nota: John Wayne pode ter sido um fumante mas, que eu saiba, morreu de câncer por ter trabalhado em um filme com locações em um deserto cujas areias estavam contaminadas pela radioatividade; com ele, Susan Hayward, Pedro Armendariz e co-adjuvantes, além de dezenas de extras.

____________________________________
- Segunda Parte -

Quando fui editor do jornal salvacionista (hoje RUMO) publiquei um artigo do The War Cry da Austrália que pode, quem sabe, não estar devidamente atualizado devido à data de sua publicação, porém não deixa de ser relevante e oportuno no seu conteúdo. 
Que seja de proveito a alguém que quer abandonar o vício do fumo ou, quem sabe, recomendar a alguém que  por fumar "que nem uma chaminé", é motivo de sua preocupação e motivo de suas orações.


































________________

L I N K S

Quando, como e por que ingressei no Exército de Salvação:


O cigarro eletrônico, e dados relevantes e atuais sobre o assunto...


________________

1 Comments:

  • Paulo, que coisa mais horrorosa essa coisa chamada "cigarro". Eu mesma e meus irmão nunca fumamos porem, convivemos com fumantes por muitos anos de nossas vidas. Meu pai tem sete irmãos e o único que não fumava, era ele. Lembro que minha avó, fumante feroz de acender um cigarro no outro, nos pedia para acende-los para ela. O que deixava meus pais preocupados porém, assim como meu pai e mãe, nunca fumamos ou tivemos curiosidade para tal. E assim se sucedeu com as drogas, muitas oferecidas no colégio. Nossa educação sempre foi muito clara e, a seguranças de meus pais em relação a educação passada era tão grande que pouco se preocupavam. Sabiam quem eram seus filhos.
    Quanto aos migos, realmente nos incentivam...eu disse "amigos"? Sorry...Mas é como uma determinação de Deus, quando ELe diz não, nada pode mudar nosso caminho a não ser a determinação do Pai. E Graças a Deus ELe escolheu este destino para meus familiares!
    Fico feliz que tenha parado, Deus sabe a hora certa de nos colocar na linha!
    Parabéns!!!
    aBRaços

    By Blogger Maria Thereza, at quarta-feira, outubro 09, 2013 2:41:00 PM  

Postar um comentário

<< Home