Paulo Franke

10 outubro, 2013

o meninO - Dia da Criança - a meninA


o meninO


Os meninos vêm em tamanhos, cores e pesos sortidos. São encontrados em toda a parte - em cima, por baixo, dentro, subindo, balançando-se, correndo ou pulando.
As mães os adoram, as meninas não gostam deles, as irmãs e os irmãos mais velhos os toleram, os adultos os ignoram e o céu os protege. O menino é a verdade com a cara suja, a sabedoria com os cabelos desgrenhados e a esperança do futuro com estilingue no bolso.

O menino tem o apetite de um cavalo, a capacidade de digestão de um engole-espada, a energia de uma boma atômica, a timidez de uma violeta e o entusiasmo de um busca-pé. Gosta de sorvete, canivete, serrote, Natal, do maninho da casa em frente, de trens e carros de bombeiro.


Não gosta da escola, dos livros sem figuras, das gravatas, nem de meninas e adultos, nem da hora de dormir. Ninguém se levanta mais cedo nem chega mais tarde para jantar.

Ninguém consegue, como ele, meter em um só bolso um canivete enferrujado, uma fruta meio-comida, um metro de barbante, seis moedas, uma atiradeira, um pedaço de substância desconhecida e um anel de segredo, genuinamente supersônico.

Indiscutivelmente, o menino é uma criatura dotada de poderes mágicos - a gente pode trancar o escritório para ele não entrar, mas não consegue impedir que entre em nossos corações. A gente pode corrê-lo para fora da sala de visitas, mas não consegue afastá-lo do pensamento. O melhor é a gente entregar os pontos... ele é o nosso carcereiro, chefe, mandachuva.


Mas quando se chega em casa à noite, carregando os destroços dos sonhos e das esperanças, ele consegue juntar todas essas peças com apenas duas palavras: "Oi, papai!"




a meninA


Uma menina é o mais belo presente do céu. Nela a gente descobre um vestígio do paraíso. Nenhuma criatura no mundo é capaz de ser, sucessivamente, tão gentil e tão insuportável. Às vezes acontece que ela lhe mexe com os nervos; mas, no momento em que você vai abrindo a boca para ralhar com ela, ei-la comportada como uma santa, tendo nos olhos um pedaço do céu.

Para criar uma menina, Deus tem de pedir emprestado a todo o mundo. Ele toma o canto do passarinho, a vivacidade do gafanhoto, a curiosidade do gato, a astúcia da raposa, a doçura do cordeiro, e junta a tudo isso o mistério de um coração feminino.

Uma menina revolve a sua casa e os seus cabelos, abusa do seu tempo e da sua paciência. Mas, justamente no momento em que você vai explodir de raiva, perpassa nos seus olhinhos um raio de sol que nos desarma inteiramente.

Quando os seus sonhos e as suas esperanças parecem ter desmoronado por completo, quando a vida parece transformar-nos em simples farrapo, a menina faz de você um rei, apenas saltando em seus joelhos e dizendo-lhe no ouvido: "Eu amo você, papai!"

Ambos os textos - de autor desconhecido - são muito antigos, no entanto são também atuais porque a natureza da criança é a mesma.
_____________________

E finalizando, já que os textos quase nos levaram às lágrimas, 
vamos encarar as realidades abaixo:

"Criança, alguém que está conosco por um tempo
 para desaparecer para sempre no mundo dos adultos." Seleções
Vamos valorizá-las enquanto as temos conosco.

*
"Nunca jogue os seus problemas ou o seu mau-humor sobre os seus filhos; eles não têm culpa de nada e podem temer a sua presença."
(nada mais comum do que isto, infelizmente...)

*
"Pais muito severos = filhos mais tarde revoltados... ou abobados."
(ouvido pela TV, de um psicólogo)


________________

Tanto o "doce" quanto o "salgado" desta postagem...
 divulguemos!

1 Comments:

  • Nossa, quanta verdade! Com simples palavras dissestes tudo! E que maravilha quando vc diz" e ao chegar em casa com os sonhos despedaçados....o "oi papai" ou o "oi mamãe" conseguem nos fazer esquecer tudo e um mundo novo aparecer na frente. Sempre percebi isso nos olhos dos meus pais, sempre! Papai saia muito cedo para o Banco e mamãe tb, para a repartição. Na volta, que coisa boa. Percebi asse que estavam mortos de chateação e cansaço , mas bastava nosso sorriso.
    O que mais admirei nos meus pais é que, apesar de um casamento não tão feliz para eles, sempre nos mostraram que estavam ali. Mesmo que tivessem se separado, o que não ocorreu, seriam pais maravilhosos como sempre. Estava no coração saberem sentir uma criança. Tive e tenho muita sorte. Apesar do casamento infeliz deles e das dificuldades que tivemos, é e foi muito bom ser filha deles! Nunca nos educaram com trocas, desafios ou competição. Não! Não tinha essa de: - Faz isso que vc ganha isso! Não!!!! Aprendemos a nos amar e a ter compaixão, a nos colocarmos no lugar do outro e ajudar sempre que possível.
    Eles entenderam, assim como José, o que é ser um fiel depositário!

    "Criança, alguém que está conosco por um tempo
    para, depois de pronto, desaparecer para sempre no mundo dos adultos."
    Seleções
    Vamos valorizá-las enquanto as temos conosco.

    Adorei....Feliz Dia da Criança amigo!!!
    aBRaços

    By Blogger Maria Thereza, at quinta-feira, outubro 10, 2013 9:13:00 PM  

Postar um comentário

<< Home